Tadinha, é lá do interiorrrr...

9 comentários
Oi gente, tudo bem? Hoje eu quero contar sobre dois micos que paguei há algum tempo atrás, por conta da tecnologia japonesa rs Os japoneses inventam cada coisa, não estou reclamando não, eu particularmente adoro a tecnologia daqui. Mas tem certas coisas que não precisam de tanto né. O vaso sanitário por exemplo. Quase todas as lojas de departamento daqui tem aquele vaso sanitário que só falta falar. Eu acho uns até legais, tipo aquele que você levanta e ele dá a descarga sozinho. Mas outros tem tanta coisa que dão até medo. Por exemplo:


Quem olha assim não vê grande coisa né, mas vamos dar um close no controle.




Eu não sei pra que serve nem metade do que tem ali, tem os desenhos que ficam bem claros pra que serve, agora e o resto? Tipo Oscillating... tá... pelo nome não deve ser coisa boa. Massage... massage?????? Como assim? Você aperta esse botão e faz massagem aonde??? *medo* Alguém aí que tá no Japão já experimentou? Se já, me conte por favor. Power deodorizer é bom né depois que faz o número dois, isso é interessante de se ter.

Mas então, deixa eu falar dos micos. Uma vez fui à uma loja com uma amiga, e resolvemos ir ao banheiro. Eu já fui logo entrando mas minha amiga foi se olhar no espelho. Quando eu estava entrando, vi que a tampa estava abaixada, até aí tudo bem, entrei, fechei a porta, quando me virei pra levantar a tampa ela já estava levantada O.O Abri a porta rapidinho e sai correndo, aqui no Japão tem um monte de contos de fantasmas, eu não acredito muito mas também não duvido. Minha amiga perguntou o que havia acontecido, quando eu contei ela morreu de rir. A tampa tinha um sensor que levantava e abaixava sozinha ¬¬
Outra vez foi em um banheiro onde, pra dar a descarga era só colocar a mão perto de um sensor, não precisava nem encostar. Eu entrei em um a minha amiga entrou no outro ao lado. Quando entramos só tinha nós duas. Tudo bem, aí na hora de dar a descarga cade que o negócio queria funcionar? Pensei, vou dar a descarga normal, geralmente todas tem, mesmo as que dão descarga sozinha, mas essa pro meu desespero não tinha. Lembrei que minha amiga estava do lado e comecei a chamar, nada dela me responder... Liguei pra ela, não me atendia. Tava pensando já em sair sem dar descarga mesmo já que tinha feito só o número um hehe mas aí pensei que seria muita sacanagem, eu não gostaria de entrar num banheiro sujo. Tentei de novo e ela atendeu mas não adiantou muito, ela só me disse o que eu já sabia, que a descarga era aquele sensor. Quando finalmente consegui, sai do banheiro e gente, tinha uma fila enooooooooorme! Todo mundo deve ter escutado eu chamando minha amiga e ligando pra ela, ainda bem que ninguém deve ter entendido o que eu tava falando. Não tive dúvidas, me fiz de louca e saí de lá rapidinho!

Dois em um!

3 comentários
Oi gente! Aff, eu tenho muita coisa pra falar aqui, por isso hoje o post vai ser dois em um, isso porque fiz uma lista de prioridades, senão o post hoje seria dez em um! Mas vamos ao que interessa!
Em primeiro lugar, quero agradecer a Elaine pela proposta maravilhosa da blogagem coletiva! Só de ter participado e buscado dentro de mim minhas qualidades, foi um presente maravilhoso! Quero agradecer também à todos que vieram me visitar, muito obrigada pelo carinho de vocês! Agradecer também à todos que sempre me visitam, sem vocês esse blog não teria razão de ser.
Quero parabenizar todos os finalistas da blogagem coletiva, segue abaixo a lista, mesmo quem não participou, vale a pena conferir. Foi uma coisa que olha, tem nem palavras pra descrever.
Os finalistas

Bia

Parabéns!!!!

Agora, vamos ao outro assunto. Eu escrevi outro dia aqui no blog, que dia 16 desse mês era o dia do idoso. Eu deveria estar muito chapada, porque dia 16 na verdade, era o dia em que o pessoal lá do hospital iriam fazer a festinha dos idosos. Escolheram o dia 16 por conveniência porque, na verdade, o dia do idoso é comemorado na terceira segunda-feira do mês de setembro. Só me dei conta quando vi no blog do Alexandre. Quando eu fiz o curso de helper, logo na primeira aula, o professor nos deus um papel com um texto. Esse texto na verdade era uma carta, que um japonês, comovido com o que estava escrito ali, transformou em uma música. A carta é muito linda. Abaixo, segue um vídeo junto com a tradução.


Tegami~Shin ai naru kodomotachi e~
video

Carta~Para as queridas crianças~
手紙 親愛なる子供たちへ
tegami shin'ai naru kodomotachi e

年老いた私が ある日 今までの私と違っていたとしても
toshioita watashi ga aru hi ima made no watashi to chigatte ita toshite mo
Se algum dia quando eu envelhecer, eu for diferente do que fui até agora

どうかそのままの私のことを理解して欲しい
douka sono mama no watashi no koto o rikai shite hoshii
Peço que me aceite desse jeito

私が服の上に食べ物をこぼしても 靴ひもを結び忘れても
watashi ga fuku no ue ni tabemono o koboshite mo kutsuhimo o musubi wasurete mo
Mesmo que eu derrube comida em minha roupa, me esqueça de amarrar os sapatos
あなたに色んなことを教えたように見守って欲しい
anata ni ironna koto o oshieta you ni mimamotte hoshii
Assim como te ensinei várias coisas, quero que cuide de mim

あなたと話す時 同じ話を何度も何度も繰り返して も
anata to hanasu toki onaji hanashi o nando mo nando mo kurikaeshite mo
Mesmo quando, ao falar com você, eu repita a mesma coisa várias vezes

その結末をどうかさえぎらずにうなずいて欲しい
sono ketsumatsu o douka saegirazu ni unazuite hoshii
Quero que não me interrompa até o fim e concorde com um gesto de cabeça

あなたにせがまれて繰り返し読んだ絵本のあたたかな結末は
anata ni segamarete kurikaeshi yonda ehon no atataka na ketsumatsu wa
O final feliz do livro de desenhos que você me implorava para ler repetidamente

いつも同じでも私の心を平和にしてくれた
itsumo onaji demo watashi no kokoro o heiwa ni shite kureta
Mesmo sendo sempre o mesmo, me trazia paz ao coração

悲しい事ではないんだ 消え去ってゆくように見える私の心へと
kanashii koto dewa nai n da kiesatte yuku you ni mieru watashi no kokoro e to
Não é nada para se ficar triste, pode parecer que estou desaparecendo mas meu coração

励ましのまなざしを向けて欲しい
hagemashi no manazashi o mukete hoshii
quero que encare com coragem

楽しいひと時に 私が思わず下着を濡らしてしまったり
tanoshii hito toki ni watashi ga omowazu shitagi o nurashite shimattari
Pode ser que quando eu ficar muito feliz, sem querer vou molhar minhas roupas de baixo

お風呂に入るのをいやがるときには思い出して欲しい
ofuro ni hairu no o iyagaru toki ni wa omoidashite hoshii
E quando eu não quiser tomar banho quero que se lembre

あなたを追い回し 何度も着替えさせたり 様々な理由をつけて
anata o oimawashi nando mo kigaesasetari samazama na riyuu o tsukete
Quando eu corria atrás de você para te vestir, e você dando vários motivos

いやがるあなたとお風呂に入った 懐かしい日のことを
iyagaru anata to ofuro ni haitta natsukashii hi no koto o
Para não tomar banho muito tempo atrás

悲しいことではないんだ 旅立ちの前の準備をしている私に
kanashii koto dewa nai n da tabidachi no mae no junbi o shite iru watashi ni
Não é nada para se ficar triste, antes de me preparar para a jornada
祝福の祈りを捧げて欲しい
shukufuku no inori o sasagete hoshii
Quero que reze pela minha benção

いずれ歯も弱り 飲み込む事さえ出来なくなるかも知れない
izure ha mo yowari nomikomu koto sae dekinaku naru kamo shirenai
Cedo ou tarde pode ser que meus dentes vão cair, e não vou mais conseguir engolir

足も衰えて立ち上がる事すら出来なくなったなら
ashi mo otoroete tachiagaru koto sura dekinaku natta nara
E se minhas pernas enfraquecerem e eu não conseguir mais me levantar

あなたが か弱い足で立ち上がろうと私に助けを求めたように
anata ga kayowai ashi de tachiagarou to watashi ni tasuke o motometa you ni
Assim como eu te ajudava quando você tentava se levantar com suas pernas delicadas

よろめく私に どうかあなたの手を握らせて欲しい
yoromeku watashi ni douka anata no te o nigirasete hoshii
Quero que me deixe apoiar em suas mãos
私の姿を見て悲しんだり 自分が無力だと思わないで欲しい
watashi no sugata o mite kanashiindari jibun ga muryoku da to omowanai de hoshii
Não quero que você pense tristemente ao me ver, que sou impotente

あなたを抱きしめる力がないのを知るのはつらい事だけど
anata o dakishimeru chikara ga nai no o shiru no wa tsurai koto dakedo
Mesmo sendo doloroso para mim saber que não tenho forças para te abraçar

私を理解して支えてくれる心だけを持っていて欲しい
watashi o rikai shite sasaete kureru kokoro dake o motte ite hoshii
Quero que tenha um coração que me aceite

きっとそれだけでそれだけで 私には勇気がわいてくるのです
kitto soredake de soredake de watashi ni wa yuuki ga waitekuru no desu
Tenho certeza que apenas com isso vou ter coragem

あなたの人生の始まりに私がしっかりと付き添ったように
anata no jinsei no hajimari ni watashi ga shikkari to tsukisotta you ni
Assim como eu sempre te acompanhei no início de sua vida

私の人生の終わりに少しだけ付き添って欲しい
watashi no jinsei no owari ni sukoshi dake tsukisotte hoshii
Quero que também me acompanhe um pouco no final de minha vida

あなたが生まれてくれたことで私が受けた多くの喜びと
anata ga umarete kureta koto de watashi ga uketa ooku no yorokobi to
Com a mesma alegria que senti quando você nasceu

あなたに対する変わらぬ愛を持って笑顔で答えたい
anata ni taisuru kawaranu ai o motte egao de kotaetai
E com o mesmo amor que nunca muda, com um sorriso quero te responder

私の子供たちへ
watashi no kodomotachi e
Para as minhas crianças

愛する子供たちへ
ai suru kodomo tachi e
Amadas crianças
(Traduzi mais ou menos, é difícil pra mim traduzir as coisas mesmo entendendo o que elas querem dizer, se tiver algum erro, por favor me corrijam)

Lembro que enquanto tocava a música e eu ia lendo a letra, tive que me segurar pra não chorar. Lembrei muito dos meus avós que não vejo há 8 anos. Queria muito estar no Brasil, recebendo o carinho da Batchan (avó) e levando bronca do Ditchan (avô) rs. Sabe, eu confesso que antigamente, quando eu era mais jovem, eu ficava um pouco irritada com meus avós, com o fato deles andarem devagar, fazerem tudo devagar, mas logo eu me lembrava que um dia eu ficaria daquele jeito também. Eu sempre fui muito paciente, e o fato de ser consciente de que aquilo é o que me aguarda no futuro, me ajudava bastante também. Eu fico indignada com quem maltrata os velhinhos. Com quem é grosso com eles, com quem perde a paciência. Tudo bem que ninguém tem a paciência de Jó, mas poxa, antes de mais nada vamos respeitar né. Quando eu trabalhava no hospital, eu era do Day Care, vocês tinham que ver como eles ficavam contentes quando nós deixávamos eles passarem um pano que fosse  na mesa, eles se sentiam úteis. Mais felizes ainda quando nós escutávamos o que eles tinham a dizer, muitos diziam que em casa ninguém conversava com eles. Me entristecia muito, quando via alguns serem internados no asilo, sendo que podiam andar, fazer de tudo e ainda eram lúcidos.
É muito engraçado, eu constantemente me pegava pensando no que todos dizem, que quando envelhecemos viramos criança novamente, e é pura verdade! O jeito que eles se divertiam cantando as músicas de infância, brincando com jogos de criança, chorando quando levavam bronca rs É gente, eles merecem todo nosso respeito e amor, não vamos nos esquecer nunca de tudo que eles fizeram por nós, nem vamos pensar que cuidar deles é uma obrigação, antes de mais nada deve ser um ato de amor.

O melhor de mim

16 comentários
Blogagem Coletiva
Proposta feita pela Elaine Gaspareto em comemoração aos seus dois anos de blog.

Falar bem de nós mesmos, é uma tarefa um tanto quanto complicada.
Quando alguém me pergunta como eu sou, já logo tasco um "Sei lá", seguido de uma lista grande de defeitos e, apenas uma ou duas qualidades. Eu vou falar o que eu acho que são minhas qualidades, mas penso que algumas das quais eu vou citar, podem também serem interpretadas como defeitos.
Sou uma pessoa sincera, falo tudo que eu penso. Há quem diga que, sinceridade demais, é falta de educação. Eu não discordo, mas segue então outra qualidade minha, eu sou educada! Eu não saio por aí falando tudo que eu penso pra quem não quer ouvir, não sou intrometida. Tampouco sou dona da verdade.
Eu tenho um bom par de ouvidos (eles não são grandes à toa), eu sei escutar quem precisa ser escutado. E não julgo. E quando alguém me procura pra falar, eu sempre peço a Deus para iluminar meus pensamentos e assim, poder dizer algo que possa ajudar essa pessoa. Eu me considero uma pessoa generosa, eu procuro ajudar as pessoas pelo simples fato de que isso me dá prazer. Não espero nada em troca, esperar é besteira. Se eu quero algo, vou atrás. Sou uma pessoa determinada. Ou teimosa. Depende de como você gosta de chamar. Eu tenho, por falta de uma palavra melhor, o "poder" de simplificar as coisas, eu tenho um olhar otimista que me ajuda nessa tarefa de simplificar tudo. Muita gente pensa: "Olha lá a bobinha, toda otimista, achando que tudo sempre vai dar certo". Pois eu digo, bobinho são esses pessimistas de plantão. Complicando mais ainda o que já é complicado por si só, se desesperando e assim nunca chegando a uma solução. Isso sim é ser bobo. Eu sou anti-social. O que??? Desde quando ser anti-social é uma qualidade??? Ué, contanto que eu me sinta em paz com isso, então posso fazer disso uma qualidade minha, certo? Acho que no final das contas, minha melhor qualidade é essa, estar em paz comigo mesma e com isso, passar uma serenidade para os outros.

Perdão

5 comentários
Blogagem Coletiva - Tema Perdão
Proposta da escritora Glorinha L. de Lion

Oi gente, tudo bem? Faz um tempinho que não escrevo aqui né. Bom, hoje eu quero participar de uma blogagem coletiva sobre os sentimentos. O tema é o perdão. Infelizmente, ontem (ou hoje pra quem está no Brasil) foi o último dia dessa blogagem coletiva. Eu não participei dos outros temas, porém, acompanhei essa proposta da Glorinha desde o começo, ou seja, li sobre todos os temas que ela propôs nesses dois meses, se não me engano. O motivo pelo qual quis participar desse tema específico, é que eu já fui uma pessoa muito rancorosa, não sabia perdoar nem pedir perdão. Quando criança, eu era revoltada. Na adolescência, fui pior ainda. Hoje em dia sou uma adulta desbocada rs Explico o porquê da revolta. Eu cresci sem pai, nunca conheci, não tinha nem foto dele. Era difícil me olhar no espelho, e buscar por traços que não eram parecidos com o da minha mãe e assim, tentar formar uma imagem paterna. Não entendia o porquê da ausência, o porquê do abandono. Quando imaginava uma cena do meu encontro com meu pai, era sempre doloroso, eu não o perdoava. Sinceramente, hoje em dia também não sei se o perdôo. E assim eu cresci. Quando tinha 10 anos, minha mãe conheceu outro homem. Era tio da minha melhor amiga, sujeito engraçado, legal, me fazia rir. Mas quando descobri por outra sobrinha dele, que estava namorando minha mãe, tudo mudou. Não quis acreditar, nem aceitar. Virei a cara, fiquei contra, fui ver se era verdade com minha mãe. Ela confirmou, porém, não sentou comigo e teve uma conversa "esclarecedora". Acho que isso foi o pior erro e o ponto de partida pra minha negação constante. Poxa, eu era uma criança, precisava de uma explicação. Eles se casaram, tiveram um filho, e eu nada de aceitar a situação. O inferno tinha começado. Afinal de contas, quem era ele pra mandar em mim? Com que direito entrava na minha vida? Na relação entre mãe e filha? Por 10 anos tinha sido só eu e minha mãe. Com que direito? Direito que minha mãe dava, e isso só aumentava meu rancor, que aos poucos foi se transformando em ódio. Um ódio descabido, um ódio sem motivos ou com vários motivos, só depende do ponto de vista de cada um. Um ódio que desestruturou a família. Eu era a erva daninha. E tudo por conta da minha falta de capacidade de perdoar e pedir perdão. Eu não perdoava aquele homem, porque na minha cabeça ele era o motivo de tanta discórdia. Era ele o intruso. Nós dois cometíamos injustiças um com o outro, porém nenhum dos dois sabia pedir perdão. Vários anos morando sob o mesmo teto, sem um olhar pra cara do outro, que dirá, trocar uma palavra. Até que do nada, eu percebi que, todo aquele sentimento negativo, não só fazia mal à mim mesma, como fazia muito mal à minha mãe, pessoa mais importante na minha vida. Então a guerra acabou, mas só por fora, porque a guerra continuou dentro de mim. Peguei todo o sentimento negativo que fazia questão de destilar ao meu redor e guardei dentro de mim. Todos se espantaram. De onde veio a calmaria? Eu já não provocava nem aceitava mais a provocação. Por fora, era completamente sem reação, mas por dentro, ah por dentro meu sangue fervia, o veneno corria. Entrei em depressão. Foram longos quatro anos de batalhas dentro de mim. Morando no fundo do poço. E mais alguns anos subindo e deslizando novamente nesse poço. Nesse caminho, encontrei a resignação, e na resignação encontrei o perdão. Finalmente pude perdoar, finalmente pude viver bem comigo mesma e aprendi a pedir perdão. Mas ainda fica a dúvida, será que realmente perdoei? Vai ver a ferida foi muito funda, e a marca muito visível. Eu perdoei mas não esqueci. Isso é possível? Se for, então eu realmente perdoei. Hoje em dia, eu penso que foi bom ter passado por isso, foi o que me moldou, fez o que sou hoje. E o que eu sou hoje? Ah... hoje eu tento não julgar ninguém, tento não complicar a vida, gosto de simplificar as coisas, ver a vida de uma forma positiva. Hoje sou mais otimista e é muito bom ver a vida com esses olhos. Hoje tento não guardar rancor, nem odiar. O mundo não precisa disso, muito menos meu coração precisa disso. A vida é muito curta. Hoje eu sou fácil (no bom sentido). Tento não dar motivos, não errar pra pedir perdão depois. Também não preciso perdoar porque sou muito, mas muito mesmo, difícil de aceitar provocações. Críticas pra mim, mesmo quando não peço por elas, são bem-vindas. Só se fizerem algo de muito grave, que vem o desafio. Posso até perdoar, mas jamais vou esquecer. Falando em não dar motivos pra ter que pedir perdão, leiam o post feito pelo querido Alexandre aqui. Eu assino embaixo. Desculpa pelo post enorme, e pra quem leu até aqui, muito obrigada pela paciência rs Bjs e até a próxima!

Tudo tão simples mas tão complicado!

8 comentários
Oie! Hoje o assunto vai ser meio down. Morte.
Antes de trabalhar como helper, até então, graças a Deus, nunca tive que lidar com a morte, ou pelo menos com o sentimento que fica quando alguém morre. Há muito tempo atrás, recebi a notícia de que uma vizinha lá do Brasil havia falecido. Eu fiquei triste obviamente, mas não entendia o sentimento que minha avó me descrevia pelo telefone. Minha avó dizia que, lá na rua, ninguém acreditava que ela havia falecido e, minha avó as vezes olhava pro portão dela só esperando o momento em que ela iria aparecer de novo. Foi só quando comecei a trabalhar como helper, que pude entender o que minha avó queria dizer. Entender e ao mesmo tempo não entender, porque na verdade, isso tudo é um enigma. Tipo, como assim? Ontem mesmo fulano estava sorrindo ao me dar tchau, o que você quer dizer com "fulano morreu" ??? Para! Brincadeira de mal gosto! Ontem mesmo eu vi, eu conversei, brincamos e demos risada, como assim fulano se foi? E nunca mais vai voltar? O dia passa e eu ainda perplexa. Mais um dia passa e mais outro e tantos outros, mas eu ainda chego na sala procurando por fulano, estranhando a ausência, até que a ficha cai. Cara, é um sentimento muito ruim! Outra coisa também, trabalhar no hospital me fez ver claramente como aqui nós não somos nada. Não digo aqui no Japão, digo no mundo. Tanta gente por aí que pensa que tem o rei na barriga, tanta gente que se preocupa com coisas que não valem a pena, tanta gente que complica tanto as coisas. Gente!!! Não compliquem as coisas, a vida por si só já é muito complicada! Eu sei, é um baita de um clichê, mas vamos dar mais valor as coisas simples porque no fim, não vamos passar de ossos enterrados. Simples assim.

Pintando o 7

4 comentários
Oie gente! Hoje estou super feliz! Terminei as tarefas extras que eu tinha lá no hospital e já fui entregar tudo. Dever cumprido! E o melhor de tudo, não tenho mais nada que me prenda ao hospital. Pra quem não sabe, eu pedi demissão. Free at last!!! Sem mais stress, sem mais correria, sem mais velho passando a mão na minha bunda! O único problema agora é arrumar outro emprego porque as coisas ainda não estão boas por aqui não. Mas isso é que menos importa agora. Bom, hoje queria mostrar o que eram essas tarefas extras que eu estava fazendo. Lá no hospital tem 2 velhinhos que já passaram dos 100 anos. E dia 16 de setembro é dia do idoso aqui no Japão. Então o hospital queria dar uma coisa especial pra esses dois velhinhos. No ano passado, a filha de uma das helpers que trabalham lá, fez o desenho do rosto de um desses velhinhos em aquarela no aniversário de 100 anos dele. Como essa helper não trabalha mais lá, eles pediram pra mim fazer o desenho. Eles sabiam já que eu gostava de desenhar e desenhava mais ou menos por conta de um tigre que eu desenhei pra dar pra um dos velhinhos que tinha me pedido. Como eu não podia dar o desenho por conta própria, eu tive que pedir permissão pra líder pra poder entregar o desenho. Sabe o que essa líder fez? Não deixou eu dar o desenho pro velhinho e ainda por cima, como esse ano é o ano do tigre no horoscopo chinês, imprimiu meu tigre nos cartões de aniversário. Eu fiquei com muita raiva mas o velhinho não ficou sem o tigre dele não, eu peguei e dei escondido. Bom, desenhar o rosto deles foi um desafio enorme, porque até hoje eu só me aventurei em desenhar o rosto de alguém uma vez só e ficou horrível. Desenhar rosto de pessoas é muito difícil, eu nunca estudei, então não sei nenhuma técnica. Mesmo assim aceitei o desafio e o resultado vou mostrar pra vocês agora.








Hahahaha eu preciso muito melhorar, mas até que ficaram parecidos né? =P

Agora mudando só um pouquinho de assunto, mês passado comprei um set do Copic Sketch Markers que eu já estava babando faz muito tempo.


Ahhh sonhei! Não vejo a hora de usar essas belezuras!! Esse set vem com 72 cores, pra completar minha coleção só faltam 262 cores hahahaha Um dia eu chego lá!

Como usar a privada

3 comentários
Estava eu, indo para Tokyo com umas amigas de carro, quando entramos em uma parada. Fomos ao banheiro, quando entrei, me deparei com esta placa.


O espanto foi tanto que tirei a foto e saí do banheiro me esquecendo completamente do motivo pelo qual havia ido até lá.


Loki resolve falar

4 comentários
Não sei o que deu nesse gatinho hoje. Subiu no meu colo e desatou a "reclamar". Ai meu Deus, mais um reclamão na minha vida? Nãaaaoooo!




Vídeo gravado pelo celular. Qualidade baixa.

Se bem que esse reclamão aí eu escuto com todo prazer. Pra variar, todo babado.

Loki vamos dormir?
Me olha com a cara toda assustada e diz Nãaaoo!
Comida primeiro xD

Enquanto isso no outro quarto....



Sparta rezando para Allah o.O?



Queria responder à um comentário que recebi no post Meus três dias de teste da Luciana. Em primeiro lugar, muito obrigada pela visita e pelo comentário Luciana! Que legal saber que você também trabalha como helper. Eu também trabalho à 1 ano e meio nessa área e sou da região de Shizuoka. Depois me passa o seu e-mail, vamos trocar experiências =P Bjos!

Desafio- Um dia inteiro sem reclamar- Quem consegue? Hey! Wait! I've got a new complaint!

2 comentários
Oie! Gente, tem coisa mais desagradável do que alguém que só reclama?


Tudo bem, nós ficamos estressados, é normal reclamar. Eu diria que é até preciso reclamar, é uma forma de desabafo. Quem nunca se sentiu bem depois de reclamar um monte com um amigo? Eu sei que eu já! O duro é quando isso é só o que você sabe fazer. Sabe aquelas pessoas que você olha e só enxerga a palavra "RECLAMAÇÃO". Tem uma pessoa assim lá no meu serviço. Eu chego e dou bom dia, aí começa:
- Sim, Sim. Quem foi que lavou os copos ontem? Olha aí faltou lavar esse aqui! Agente fala fala mas não adianta, sempre faz mal feito! (Quando foi que bom dia virou "sim sim"? E eu sempre fui a favor do "Quer perfeito? Faça você mesmo")
- Ai, outro dia fulano era pra ter levado o carrinho com as louças até o terceiro andar, sabe o que ele fez? Levou e deixou tudo lá sem arrumar nada e ainda não trouxe o carrinho de volta! (Mais uma vez, quer que seja perfeito? então faça você mesmo!)
- Aii essa mulher parece que é burra! Nunca entende o que agente fala e faz tudo errado! (Preciso repetir a mesma frase 3 vezes?)
- Outro dia fui levar fulano ao banheiro e a cueca/calcinha tava imunda! E pior que pedia pra ir toda hora, eu gastei uma caixa inteira de luvas descartáveis! Um baita desperdício! (Não dizem por aí cada louco com a sua mania? Eu diria mais, cada um com a sua porquice. E se preocupar com a quantidade de luva usada? Dá um tempo! Nem o dono do hospital se preocupa)
- Olha só que horas são e ninguém começou a servir as bebidas ainda! (Eu perguntei alguma coisa?)
- Olha o fulano ali, tá vendo que tem um monte de gente esperando pra tomar banho e fica lá limpando o chão! (E você que tá vendo a mesma coisa mas está aí, parada, só reparando nos outros pra ter algo pra reclamar depois)
- Olha o serviço de porco que cicrano faz, e beltrano que sempre esquece de jogar fora o filtro com café que já não serve mais (Ai meu São Crispim)
E por aí vai.... é um inferno, ela reclama de todo mundo e todo mundo reclama dela. No começo eu ainda ficava irritada mas hoje em dia eu faço é cara de paisagem, ligo a audição seletiva e concordo com tudo que ela fala. O que ela fala? Já nem sei mais.